terça-feira, 1 de julho de 2008

GOIABEIRA (Psidium guajava)

Flor da goiabeira


A goiabeira (Psidium guajava) é um arbusto ou árvore pequena da família das mirtáceas, nativa de regiões tropicais das Américas, produtora do fruto chamado goiaba. Tal espécie possui casca tanífera, folhas obovadas, utilizadas como antidiarréicas e de que se extrai óleo essencial, flores pequenas, brancas. Seu fruto é em forma de bagas verdes ou amarelas com polpa aromática, branca, rósea, avermelhada ou arroxeada, muito consumidas ao natural ou em compotas, doces, sorvetes e geléias. Também é conhecida pelos nomes de araçá-guaçu, araçaíba, araçá-mirim, araçauaçu, goiaba, goiabeira-branca, goiabeira-vermelha, guaiaba, guaiava, guava, guiaba, mepera e pereira.
Família: Mirtaceae
Nomes populares: goiaba, araçá-goiaba, araçú-guaçú, araçá-guaba, araçú-uaçú, guaiba-vermelha, guaiava.
Propriedades terapêuticas:
Anti-diarréico;
Antidesintérico;
Vulnerária;
Antibiótica;
Estomáquica;
Emenagogo;
Anti-inflamatório;
Febrífuga;
Laxativa - ( fruto maduro. )
Aperitiva;
Anti-Helmíntico - (fruto verde)
Toxidade: Foi encontrado nas folhas e botões florais traço de ácido hidrociánico, por isso, é contra indicado o uso prolongado. A goiaba madura, pela abundância de suas sementes pode ocasionar empachamento dolorosos nas crianças que comem demais.
Composição química: Varia em quantidade de acordo a região do globo que é cultivada.
Usos da Goiabeira:

Folhas: o chá preparado com elas é utilizado para combater desinterias em medicina caseira.
Fruto (goiaba): in natura e maduro é saboreado fresco, sob forma de refrescos, de sucos, sorvetes; processada a polpa entra na confecção de doces (de corte, em calda, em pasta), sucos concentrados, polpa congelada, geléias, compotas.
O fruto tem grande importância alimentar e elevado teor em ácido ascórbico. Dizem que a polpa dos frutos vermelhos é apropriada para a indústria mas, também, é consumida fresca pelo homem. A goiaba é dos bons fornecedores de Vitamina C.

Clima: nativa de região tropical a goiabeira vegeta e produz bem desde o nível do mar até 1.700 m de altitude.
Temperatura: abaixo de 12ºC a planta não vegeta; a temperatura ideal para vegetação e produção situa-se entre 25 e 30º C. Em clima frio, nublado ou chuvoso botões florais não se abrem.
Chuvas: A goiabeira requer precipitação anual bem distribuida de 1.000 mm embora medre com chuvas 800 mm e 1.500 mm/anuais. Em regiões onde a estação seca prolonga-se por 5 meses ou mais a goiabeira produz uma só safra.
Umidade Relativa: A faixa mais favorável está entre 50% e 80%.
Solos : Rústica, a goiabeira adapta-se aos mais variados tipos de solo, evitando-se os solos pesados e mal-drenados e excessivamente argilosos ou arenosos, rasos ou muito ácidos.
Os areno-argilosos profundos, bem drenados, ricos em matéria-orgânica, pH 5,5-6,0 e protegidos de ventos ou do frio são preferidos pela a goiabeira.
O plantio deve ser feito no início da estação chuvosa, em dias nublados e frescos; retirar envoltório de plástico e colocar torrão na cova de tal forma que o colo fique ligeiramente acima do solo. Efetuar rega abundante se não tiver ocorrido chuvas e amarrar a planta, com fita plástica larga, a um tutor. Fazer bacia em torno da muda e cobrir com palha ou maravalha.
Podas: De formação: para apresentar copa funcional que permita tratos e facilidade na colheita a goiabeira necessita de poda de formação desde cedo; a planta deve ser conduzida com uma só haste até altura de 60cm. quando retira-se a a gema terminal. Até 25cm. abaixo do apice da planta deixa-se 4 ramos opostos 2 a 2 e orientados para os pontos cardeais e entrando desencontradamente no caule para formação da copa; após amadurecimento da planta esses ramos primarios são podados para ficarem com 45cm. de comprimento; daí em diante a copa deve-se formar à vontade.

Irrigação: Com irrigação a goiabeira apresenta boa produção de frutos e até 2 safras/ano; irrigação + poda adequada podem orientar a safra para épocas economicamente desejáveis.

Adubações do goiabal: Analises de solo e foliar e observação visual do pomar podem indicar necessidades de adubação; caso isso não seja possível adubar segundo recomendação abaixo, por planta e por vez: 1º ano: 55g. de ureia e 35g. de cloreto de potássio no "pegamento" e final da estação chguvosa.
Doenças
Ferrugem - fungo Puccinia psidii, Vent.
Agente causal ataca tecidos novos de varios órgãos (folhas, gemas, flores, frutos). Os sintomas são lesões necróticas, arredondadas, com formação de pustulas pulverulentas amarelo-alaranjadas.
Controle: poda de limpesa (maior aeração da copa), controle de ervas daninhas, aplicação preventiva e curativa em pulverização de produtos quimicos à base de triadimefom, mancozeb, oxicloreto de cobre, chlorotholonil.
Outras: Verrugose, antracnose também afetam a goiabeira
Colheita
Efetuar colheita nas horas mais amenas do dia, evitar pancadas ou danos mecânicos no fruto. Colher fruto plenamente desenvolvido e no estágio de "de vez", no máximo; colher 2-3 vezes por semana. Goiabas redondas são classificadas em.
Extra (15-21 frutos/caixa), especial (24-32 frutos por caixa) e primeira (35-45 frutos por caixa)

Um comentário:

Xymeully disse...

Ótimas informações, vou dá uma aula sobre esse tema e quase não achei nada na internet. Seu blog vai me ajudar muito!!!!!!!!!